Wood & Stock - Sexo, Orégano e Rock'n'Roll

Wood & Stock - Sexo, Orégano e Rock'n'Roll
1972 é o ano, estamos em plena festa de reveillon, muita musica rolando, e o ambiente é totalmente hippie, Wood, Stock, Rê Bordosa, Lady Jane, Nanico, Rampal e Meiaoito estão presentes, todos ainda jovens, curtindo uma festa pra lá de psicodélica na casa de Cosmo. Assim começa o longa animado Woos & Stock – Sexo, Orégano e Rock’n’roll baseado nos quadrinhos de Angeli e dirigido por Otto Guerra, o filme tem 81 minutos de muito rock n’ roll ao melhor estilo Wood e Stock, e isso é só o começo. Trinta anos se passam e essa rapaziada agora está totalmente presa em um mundo capitalista, nada sobrou daqueles dias de “paz e amor”, totalmente deslocados no tempo e espaço, eles estão frente a frente com a realidade nua e crua da vida, contas para pagar, filhos, família e nenhuma vontade de cair na “real”, Wood e Stock resolvem reunir novamente a antiga banda de rock, e é agora que tudo começa a ficar bom!
Os personagens do grande Angeli dão um show de irreverência, e alegram os fãs com mais de trinta anos, com um humor sagaz e maduro, mas sem desagradar o público adolescente. A produção é dirigida ao público adulto e tornou-se a primeira animação da história do país a ser classificada para maiores de 18 anos, em função de uma possível apologia as drogas, o Ministério da Justiça promoveu esta determinação no início deste ano, mas o diretor Otto Guerra, correu atrás e conseguiu escapar da censura, classificando a animação para acima dos 16 anos, isso com certeza foi um avanço, garantindo um público maior à produção.
Foram nada menos que 11anos envoltos em muitas dificuldades, falta de apoio e verbas, sem esquecer de um dos fatos mais curiosos do processo, no início do trabalho estavam previstas 3 músicas da famosa banda Os Mutantes, mas Sérgio Dias, um dos ex-integrantes, pediu pelo uso das músicas o valor de 100 mil reais.
Para não inviabilizar a produção que não podia ultrapassar o valor de 1 milhão de reais, Otto buscou apoio de Rita Lee e Arnaldo Baptista, também antigos integrantes dos Mutantes, e assim conseguiu a liberação para o uso algumas músicas como, “Hulla-Hulla” e “Eu vou me salvar”, mas mesmo com estes e outros contratempos, o filme foi bem e recebeu premiação no programa para filmes de baixo orçamento do Ministério da Cultura, além de levar 3 prêmios no Festival de Pernambuco, nas categorias de Melhor Trilha Sonora, Prêmio Especial do Júri, e o de Melhor Atriz Coadjuvante com a atuação de Rita Lee.
O fato de Otto Guerra ser um dos maiores fãs dos personagens de Angeli, colaborou para um filme que agrada aos mais fanáticos pela turma mais underground de bichos-grilo dos quadrinhos nacionais. As vozes de Rita Lee interpretando a personagem Rê Bordosa e Tom Zé como Raulzito, ficaram perfeitas, mas também não podemos esquecer de Sepé Tiaraju e Zé Vitor Castiel nos respectivos papéis de Stock e Wood, que deram um verdadeiro show à parte.
Apesar de todas as dificuldades do processo, Otto conseguiu a maior parte da verba a partir de editais públicos e concursos, pois dito por ele mesmo em várias entrevistas, era quase impossível conseguir empresas que quisessem ter seu nome ligado a um filme que tinha como subtítulo a seguinte frase ”Sexo, Orégano e Rock n’ Roll”, mas o resultado foi o que ele esperava, a produção foi finalizada e para grande surpresa dele e de toda a equipe, a receptividade do público na faixa dos 17 aos 19 anos foi fantástica, sem contar é claro com a total satisfação de Angeli, que praticamente não interferiu no roteiro, deixando tudo a cargo de Rodrigo John, que por outro lado, diz não ter feito nada mais do que ser fiel aos quadrinhos do criador de Wood e Stock.
O Cartunista nascido em São Paulo viveu uma época diferente, e sempre tentou retratar desde a década de 80, um humor sarcástico e revolucionário em suas tiras. Nascido Arnaldo Angeli Filho, adotou o nome do meio como pseudônimo, e com o tempo foi desenvolvendo uma galeria enorme de personagens antológicos, a exemplo de Bob Cuspe, os Skrotinhos, Wood & Stock e a irreverente Rê bAngeli começou sua vida profissional muito cedo, já aos 14 anos, trabalhava na revista Senhor, além de colaborar para vários fanzines, cresceu como artista, e em 1973, começou no jornal Folha de São Paulo, onde se mantém até hoje, foi responsável pelo lançamento da revista Chiclete com Banana um sucesso editorial que chegou a atingir a tiragem de 110 mil cópias, e tinha em seu corpo de colaboradores, nomes como Laerte (Os Piratas do Tietê), Luiz Gê (Revista Circo), Glauco (Geraldão), e Fernando Gonsales (Níquel Náusea), a revista se consagrou como uma das melhores publicações adultas em quadrinhos do país.Sem nunca largar as tiras, Angeli publicou seu material em países como França, Espanha, Itália, Alemanha, Argentina e também Portugal onde conseguiu um excelente número de fãs, além de uma série de animação de 60 episódios de um minuto cada, chamada “Angelitos”, produzida pela produtora portuguesa Animanostra e dirigida por Humberto Santana.
O cartunista já faz sucesso há muito tempo, talvez por sua garra e dedicação, mesmo quando ele diz que “não nasceu pra isso”, mas seus fãs com certeza sempre dirão o contrario.
Sexo, Orégano e Rock n’ Roll, exprime perfeitamente a vida de Wood & Stock, que se dão conta que não estão mais vivendo na era hippie dos anos 70, e percebem que além de cinquentões, estão barrigudos e carecas.Wood agora é pai, e Overall é o seu filho com Lady Jane, o garoto, completamente avesso as atitudes do pai, dá um tom de moralidade na trama.
Lady Jane termina cansando de Wood que não faz nada na vida para ganhar dinheiro, e sai em busca de “orientação espiritual” com o guru Rhalah Rikota, um pilantra de marca maior. Stock também desempregado busca abrigo na casa do recém solteiro amigo, e daí para frente, haja orégano para agüentar essa turma que resolve reunir os velhos amigos e reativar a antiga banda.
O filme tem boas sacadas, principalmente a imagem que faz homenagem ao álbum de 69 dos Beatles “Abbey Road”, realmente vale a pena conferir e valorizar o trabalho desta equipe batalhadora, que lutou bastante para transportar Wood, Stock e seus amigos, das tirinhas para as telas de cinema.


Faça o Download